Quinta-feira, 6 de Março de 2008

Energia: Gazprom restabelece fornecimento de gás à Ucrânia

No Público:

Moscovo e Kiev comprometem-se a continuar negociações sobre conflito energético
Gazprom restabelece fornecimento de gás à Ucrânia 
05.03.2008 - 16h52 Agências
O consórcio energético russo Gazprom anunciou hoje a normalização do fornecimento de gás à Ucrânia, reduzido ontem para metade, na sequência de um acordo entre os dois países, que se comprometem a continuar o diálogo para resolver questões pendentes no conflito energético que os opõe.

“Todas as restrições no fornecimento de gás aos consumidores ucranianos foram levantadas”, lê-se num comunicado conjunto das empresas estatais de energia dos dois países, no qual garantem também que “o fluxo de combustível para os consumidores europeus através do território ucraniano está a fazer-se em pleno”.

Nos últimos dois dias, a Gazprom reduziu para metade a quantidade de gás que fornece à Ucrânia, exigindo o pagamento de 600 milhões de euros de dívida e a assinatura do novo acordo de regulação das transacções energéticas entre os dois países.

Em retaliação, Kiev avisou que poderia interromper o fluxo de combustível que passa nos gasodutos do país com destino aos países da Europa ocidental. Temendo uma situação semelhante à registada no início de 2006, a União Europeia exigiu uma resolução do conflito energético entre os dois países, lembrando que um quarto do gás que importa é produzido na Rússia.

Segundo o comunicado, a Naftgaz, empresa ucraniana que gere a distribuição de gás, compromete-se a pagar o combustível que importou nos últimos dois meses de acordo com um esquema acordado no início do ano. Neste período, a Ucrânia importou seis mil milhões de metros cúbicos, a um preço de 179,5 dólares por cada mil metros cúbicos.

Nas próximas semanas, as duas empresas comprometem-se a retomar na próxima semana as negociações para definir como será feito o pagamento faseado da dívida ucraniana à Gazprom e os novos contratos para o fornecimento de gás, que Kiev quer ver livre de intermediários.

O fim do impasse foi conseguido depois de uma conversa telefónica, esta manhã, entre o Presidente russo, Vladimir Putin, e o seu homólogo ucraniano. Segundo a Reuters, Victor Iuschenko ordenou à primeira-ministra, Iulia Timoshenko, para retomar de imediato as negociações com a Gazprom, criticando as condições que estas impôs para se voltar à sentar à mesa com os russos.
http://ultimahora.publico.clix.pt/noticia.aspx?id=1321696&idCanal=11

publicado por MMP às 18:03
link do post | comentar | favorito

.Propósito

Proporcionar aos meus alunos de Direito da Economia da Faculdade de Direito da Universidade de Lisboa um canal de comunicação que complemente as aulas. A intenção é a de ir afixando informação que se relacione com a disciplina de DE e, na medida do possível, contextualizá-la. O envio de comentários ou sugestões é bem-vindo.

.Autor

.posts recentes

. Resolução do caso prático...

. Resolução do caso prático...

. Aula de dúvidas

. Regulação do sistema fina...

. Regulação da energia

. CASO PRÁTICO Nº 4

. Legislação comunitária - ...

. CASO PRÁTICO Nº 3

. Visita à AdC - subturmas

. Visita à Autoridade da Co...

. Caso prático nº 2 - sbts....

. Caso prático nº 2 - sbts....

. Caso prático nº 1 - sbts....

. Caso prático n° 1 - sbts....

. Regulação das comunicaçõe...

. Regulação das comunicaçõe...

. Frequências/Exames de Dir...

. Arredondamentos - regulaç...

. PPPs - Concessões rodoviá...

. Ainda as PPPs na saúde

.links

.pesquisar

 

.arquivos

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008